sábado, 31 de janeiro de 2015

FÉ: isto é tudo.




Romanos 1:17









Quem poderia imaginar que um caçador de cristãos se tornaria caça? Pois foi o que aconteceu com o apóstolo Paulo.
Anteriormente ao seu chamado, ele foi um dos mais fanáticos perseguidores dos cristãos, mas, depois do episódio na estrada de Damasco, ele nunca mais foi o mesmo.
De perseguidor ele foi transformado no maior líder do cristianismo. E sua vida de dedicação à causa do evangelho nos serve de modelo até nos dias de hoje.
Já nos primeiros versículos do livro de Romanos, podemos contemplar uma paixão reveladora por Jesus Cristo e o evangelho.
Paulo se tornou um missionário sem igual. Seu ensinamento para igreja é "chamar dentre as nações um povo para a obediência que vem pela fé" (Romanos 1:5).
A sua pregação era acerca do Filho de Deus, que, como homem nasceu da raiz de Davi, mas, pelo Espírito de santidade foi declarado como Filho do Deus Altíssimo.
Deus ressuscitou a Jesus Cristo dentre os mortos e entregou a ele todo poder, tanto no céu como na terra.
Deus lhe deu um nome que é sobre todo o nome. Esse mesmo Jesus, Deus o tornou Senhor e Cristo.
Envergonhar-se do evangelho?! Jamais! "porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê" - Romanos 1:16.
Paulo foi ativista na luta contra o preconceito racial - esta luta não é privilégio dos nossos dias - ele queria inculcar na mente dos cristão daquela época que o amor de Deus era o mesmo, tanto para o judeu como para o grego; o final do versículo 16 diz o seguinte: "primeiro do judeu, depois do grego". 
Os cristãos judeus queriam que os gregos se tornassem submissos à lei judaica. Um dos grandes embates de Paulo foi com relação a esta questão. Ele queria que eles entendessem que em Jesus Cristo, já não há mais separação. A única exigência, para ambos os povos, é a fé em Cristo Jesus.
"Pois vocês são salvos pela graça, por meio da fé, e isto naõ vem de vós, é dom de Deus" - Efésios 2:8.
Infelizmente,hoje em dia, muitos cristão não prestam a devida atenção a estes versículos e tentam introduzir a cultura judaica para dentro dos templos cristãos, contrariando o ensinamento do pai da igreja.
Não são os paramentos ou os rituais que tornam o povo mais santo ou mais próximo de Deus.
O evangelho não precisa de complemento. Não precisa de acessórios. Ele é a boa notícia de Deus.
Nele - no evangelho-, é revelada a justiça de Deus, uma justiça que do princípio ao fim é pela fé - Romanos 1:17.
E a fé não é algo palpável. "Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos" - Hebreus 11:1.
Quando Martinho Lutero entendeu este princípio, declarou:"Senti que havia renascido e atravessado as portas para o paraíso. As Escrituras adquiriram um novo significado... Essa passagem de Paulo se tornou para mim um portal para o céu".
Não há outra forma de agradarmos a Deus, a não crendo que Ele enviou Jesus Cristo a terra para morrer pelos nossos pecados e, ao terceiro dia, ressuscitou-o dentre os mortos, para que, por meio Dele e de Seu nome, fossemos feitos Filhos de Deus.
Isto é tudo.
Não precisamos de mais nada.
I Coríntios 5: 21, deixa bem claro: "Deus tornou pecado por nós aquele que não tinha pecado, para que nele tornássemos justiça de Deus".
E agora que nos tornamos - tanto judeus como gregos- justos, o entendimento é este: "O justo viverá pela fé".